RESUMO: A palma forrageira representa excelente alternativa de cultivo para o semiárido brasileiro por adaptar-se bem as condições edafoclimáticas da região. O objetivo desse trabalho foi avaliar as características morfométricas e a produtividade de duas espécies de palma forrageira submetidas a diferentes doses de adubação orgânica. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados em esquema fatorial 4 x 2, com 4 repetições, sendo quatro doses de adubação orgânica e duas espécies. As características avaliadas foram: comprimento do cladódio, largura do cladódio, número de cladódios, altura das plantas, altura total dos cladódios, área do cladódio, índice de área dos cladódios, produção de massa verde e produção de massa seca. Os dados foram submetidos a análise de variância. O teste de Tukey (P<0,05) foi usado para comparação das médias das espécies e para doses de adubo foram gerados gráficos a partir das regressões. Para as características morfométricas e de produção observou-se efeito significativo para as doses de esterco bovino sob todos os parâmetros analisados. A máxima produção de matéria seca foi observada, quando se aplicou 75 t ha-1 de esterco
bovino. A palma ‘Gigante’ apresenta maior produção de matéria seca quando comparada a ‘Sem espinho’.
Palavras-chave: Nopalea cochenillifera; Opuntia fícus-indica; semiárido.

Ver artigo

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here