A palma forrageira (Opuntia fícus-indica Mill.) é uma planta adaptada às condições adversas do semiárido devido as suas características morfológicas e fisiológicas, primordialmente, devido ao metabolismo ácido das crassuláceas (MAC). O Brasil produz 3.58 milhões de toneladas da cultura, sendo a Bahia o maior produtor, responsável por 42% dessa produção. A palma figura entre as quatro culturas mais importantes do estado. O potencial produtivo da palma forrageira é máximo quando as relações adequadas de nutrientes proporcionam o desenvolvimento normal da cultura. Conhecer o equilíbrio nutricional das plantas é importante para avaliar o potencial de rendimento. A diagnose foliar tem sido utilizada como complemento à análise química do solo e à diagnose visual e reflete a dinâmica dos nutrientes no sistema-solo-planta. Nesse sentido, objetivou-se com o presente trabalho estabelecer as normas DRIS (Artigo 1), determinar valores de referência pelos métodos DRIS e IBKW (Artigo 2) e determinar valores de referência pela abordagem da Linha de Fronteira (Artigo 3) para diagnose nutricional da palma forrageira ‘Gigante’ cultivada com adubação orgânica em condições semiáridas. Nos estudos, utilizaram-se os valores dos teores de macronutrientes (N, P, K, S, Ca e Mg) e micronutrientes (B, Cu, Fe, Mn, Zn e Na) determinados em amostras coletadas em cladódios recém maduros e as produtividades de matéria seca (PMS) de 72 parcelas de um experimento com palma forrageira ‘Gigante’, cuja PMS média era 19.93 Mg ha-¹ ciclo-¹. Os tratamentos, quatro doses de esterco bovino (0; 30; 60 e 90 Mg ha-1 ano-1), três espaçamentos (1.00 x 0.50; 2.00 x 0.25 e 3.00 x 1.00 x 0.25 m) e dois ciclos de produção (600 e 930 dias após o plantio), foram dispostos em esquema fatorial 4 x 3 x 2, em delineamento em blocos casualizados, com três repetições. No artigo 1, para estabelecimento das normas DRIS, o banco de dados foi separado em uma população de alta (PAP) e outra de baixa produtividade (PBP), acima e abaixo de 19.93 Mg ha-¹ ciclo-¹ de matéria seca, respectivamente. Foram calculadas a média, o desvio-padrão, o coeficiente de variação, as variâncias e a razão das variâncias de todas as relações bivariadas entre nutrientes, considerando a relação na forma direta (A/B) ou inversa (B/A). A seleção da relação direta ou inversa dos nutrientes para compor as normas DRIS foi realizada pelo método da razão das variâncias entre a população de baixa e a de alta produtividade (S2b/S2a). Foi escolhida a ordem da relação que apresentou a maior razão de variância. Diferenças entre variâncias das relações nas PAP (S2a) e PBP (S2b) foram avaliadas pelo teste F. Estabeleceram-se as normas DRIS para a palma forrageira ‘Gigante’ cultivada em condições semiáridas do sudoeste da Bahia, com 66 relações entre nutrientes. As normas DRIS estabelecidas viabilizam a utilização da diagnose foliar como método de avaliação do estado nutricional da palma forrageira ‘Gigante’ cultivada com adubação orgânica em condições semiáridas. No artigo 2, utilizou-se o mesmo critério do artigo 1 para separar o banco de dados em população de alta e de baixa produtividade. Baseado na população de alta produtividade, foram calculados os índices DRIS para cada nutriente. A interpretação dos índices DRIS foi realizada pelo método do potencial de resposta à adubação (PRA). As cinco classes dos valores de referência para os teores de nutrientes nos cladódios foram definidas de acordo com a (s) faixa (s) de desvio padrão dos índices DRIS da população de alta produtividade. Por sua vez, com valores fixos dos IBKW, foi possível determinar os limites inferior e superior dos valores de referência dos teores de nutrientes nos cladódios. Os valores de referência gerados pelos métodos DRIS e IBKW diferem entre si e da literatura, para todos os nutrientes. Os métodos DRIS e IBKW foram eficientes na identificação dos nutrientes limitantes para palma forrageira ‘Gigante’, havendo diferenças na ordem hierárquica da limitação, por falta ou por excesso, e dos nutrientes não limitantes à produtividade. O método DRIS é recomendado para o diagnóstico de macronutrientes. No artigo 3, utilizou-se todo o banco de dados. Os limites inferior (Li) e superior (Ls) das classes dos valores de referência foram determinados por regressão nas quais os teores de nutrientes nos cladódios foram utilizados como variáveis independentes (x) e a PMS como variável dependente (y), considerando uma porcentagem da máxima produtividade de matéria seca (declividade = 0). Foram estabelecidas cinco classes: deficiente, baixo, normal, alto e excessivo. Os valores de referência para macronutrientes determinados pela abordagem da Linha de Fronteira concordam com a literatura relacionada a diagnose nutricional da palma forrageira ‘Gigante’ cultivada em condições semiáridas da Bahia e podem ser utilizados no diagnóstico com a mesma precisão. Os valores estabelecidos para micronutrientes pelo método da Linha de Fronteira são menos adequados para interpretação do estado nutricional comparado à técnica da Faixa de Suficiência e a Chance Matemática. As relações ótimas entre nutrientes, de maior importância para a palma forrageira ‘Gigante’, estimadas através da abordagem da Linha de Fronteira, são semelhantes às mesmas relações determinadas pelas normas DRIS. Os métodos IBKW e Linha de Fronteira são menos sensíveis para diagnósticos de micronutrientes que apresentam alto coeficiente de variação. Os valores de referência estabelecidos pela abordagem da Linha de Fronteira são mais próximos dos valores disponíveis na literatura do que aos valores determinados pelos métodos DRIS e IBKW. Os valores de referência determinados pelo método DRIS e aqueles citados na literatura são mais recomendados para diagnose nutricional de macronutrientes e micronutrientes, respectivamente, em palma forrageira ‘Gigante’ cultivada em condições semiáridas da Bahia.

Palavras-chave: Opuntia. Diagnose nutricional. Fertilidade. Fertilização orgânica. Teores ótimos.

Ver dissertação

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here